sábado, 26 de setembro de 2009

MUSICA DO DIA 167

Mais uma edição desse querido videocast, trazendo mais uma vez música brasileira de qualidade. Presença de Zezé di Camargo e Luciano.

domingo, 20 de setembro de 2009

CANTINHO DA POESIA

Nosso Cantinho recorda o emocionante SONETO DE FIDELIDADE do Vinicius de Moraes na interpretação da inesquecível atriz Odete Lara.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

MUSICA DO DIA 166

Uma das canções que compõem a trilha sonora da nova novela global VIVER A VIDA, é MAR E SOL, na voz da Gal Costa, que ela gravou em 2005. Este videocast é um clip com esta melodia e cenas da novela. Boa diversão!


quinta-feira, 17 de setembro de 2009

terça-feira, 15 de setembro de 2009

O SOM DA FITA

Volta ao ar o videocast O SOM DA FITA, desta feita para homenagear Patrick Swayze, que nos deixou tão precocemente. Consagrou-se definitivamente com seu papel no filme GHOST - DO OUTRO LADO DA VIDA, tema desta edição do programa. Não deixe de postar seus comentários.
Boa diversão.


sábado, 12 de setembro de 2009

MUSICA DO DIA 165

Galera, mais MPB pra vocês.


MARADONA COM A CAMISA DO BRASIL


Invadido, site da "CBF argentina" ganha foto de Maradona com camisa do Brasil

da Ansa, em Buenos Aires

Um grupo de piratas virtuais autointitulado "KKR" invadiu nesta sexta-feira (11) o site da AFA (Associação do Futebol Argentino, a CBF da Argentina) e publicou em sua página principal uma foto do técnico Diego Maradona usando a camisa da seleção brasileira. Em uma tela inteiramente negra, os invasores incluíram apenas a foto e, abaixo dela, a frase "uma imagem vale mais que mil palavras". Efe/Ambev Técnico da Argentina Diego Maradona, em comercial do Guaraná de 2006, quando vestiu camisa do Brasil; piratas virtuais usam foto Técnico da Argentina Diego Maradona, em comercial do Guaraná de 2006, quando vestiu camisa do Brasil; piratas virtuais usam foto A foto de Maradona foi tirada de uma campanha publicitária do Guaraná Antárctica, marca brasileira, em que o ex-craque sonhava que era jogador da seleção do país vizinho.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

terça-feira, 8 de setembro de 2009

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

MUSICA DO DIA - ESPECIAL

Esta edição é especial para o dia de hoje. Curtam uma marcha militar famosa de John Phillip Sousa.

FILMES EM CARTAZ

"Amantes": filme belíssimo

Inácio Araújo

Aparentemente, "Amantes" não tem nada de mais. Lá está um rapaz meio perdido na vida a quem, de repente, se dá a oportunidade de um casamento com uma bela e simpática moça, o que seria, também, oportunidade para um negócio familiar (juntar as tinturarias dos respectivos pais).

Ao mesmo tempo, ele conhece uma vizinha por quem se apaixona imediatamente, talvez porque adivinhe que ela é tão frágil quanto ele.

Adivinhamos ou acreditamos adivinhar que nunca vai dar certo a história dele com a vizinha, porque eles são muito parecidos. Mas isso não importa, primeiro porque os filmes têm margens de imprevisibilidade, segundo porque o que importa é o encaminhamento do final, terceiro porque o que experimentamos é sempre o presente ("o cinema é presente, presente contínuo", dizia Robert Bresson).

Mas o que importa não é tanto a história. James Gray não cria personagens, mas pessoas, as cerca de um meio, de circunstâncias, de gostos, de detalhes. Por exemplo, a atitude da mãe em relação ao filho, que vai da proteção extrema à investigação: tudo sem palavras.

Os atores não são estrelas. Você olha Gwyneth Paltrow e não vê alguém que diz "eu vou interpretar uma girl next door". Você vê a girl next door. Isso para não falar do Joaquin Phoenix, que está excepcional.

Uma coisa a notar: nada explica nada. Isso é algo muito fora da convenção. No início, existe uma tentativa de suicídio e a constatação de que o rapaz (Phoenix) não tomou seu remédio para transtorno bipolar. Ora, veremos depois que isso não tem nada a ver com a maneira como ele se comporta.

O comportamento da Gwyneth também não se explica pelas experiências que vemos no filme. Quando tudo leva a pensar que ela vai fazer uma coisa, faz completamente o contrário, quer dizer, algo muito parecido com o que acontece na vida e, raramente, no cinema.

Porque o cinema tem se tornado um espetáculo onde vamos à espera de ver cinema, e não seres humanos. Então nos deparamos com convenções cinematográficas a cada esquina.

Vale a pena dar uma olhada no final. Parece que James Gray vai se afundar na retórica, no "gran finale". Parece que vai, enfim, "fazer cinema". Nada disso. Ele nos leva até a borda do abismo e sai dali com uma elegância exemplar. É um alto e comovente melodrama, um desses filmes que ver causa uma alegria enorme.

(Inácio Araújo é crítico de cinema do jornal Folha de S.Paulo)



DIA DA INDEPENDÊNCIA

Aqui está minha pequena participação de cidadão brasileiro na nossa data maior. Hoje em dia, é imensa a quantidade de gente que não sabe cantar os versos do nosso hino. Deixo aqui a melodia e a letra para que todos vejam, cantem e reflitam sobre este verdadeiro poema cantado, a poesia de toda uma nação expressa numa canção.

Letra: Joaquim Osório Duque Estrada
Música: Francisco Manuel da Silva

Parte I

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heróico o brado retumbante,
E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da pátria nesse instante.
Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!
Ó Pátria amada, Idolatrada, Salve! Salve!
Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
A imagem do Cruzeiro resplandece.
Gigante pela própria natureza,
És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza.
Terra adorada, Entre outras mil,
És tu, Brasil, Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada, Brasil!


Parte II

Deitado eternamente em berço esplêndido,
Ao som do mar e à luz do céu profundo,
Fulguras, ó Brasil, florão da América,
Iluminado ao sol do Novo Mundo!
Do que a terra, mais garrida,
Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;
"Nossos bosques têm mais vida",
"Nossa vida" no teu seio "mais amores."
Ó Pátria amada, Idolatrada, Salve! Salve!
Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado,
E diga o verde-louro dessa flâmula
"Paz no futuro e glória no passado."
Mas, se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte.
Terra adorada, Entre outras mil,
És tu, Brasil, Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada, Brasil!


domingo, 6 de setembro de 2009

FILMES EM CARTAZ

O longa de animação "Up - Altas Aventuras", da Disney-Pixar, conta a história de Carl, um velho vendedor de balões que é viúvo e se vê obrigado a mudar para um asilo. Ele decide, então, realizar o sonho que não pôde concretizar com a esposa: viajar à América do Sul.

Carl amarra a casa a milhares de balões para fazê-la voar até a Venezuela e embarca, assim, em uma emocionante aventura junto a uma criança exploradora, um estranho pássaro tropical e um cachorro que fala. Sem contar os gastos com promoção, a produção de "Up - Altas Aventuras" custou US$ 175 milhões. Assista o vídeo com o trailer.


sexta-feira, 4 de setembro de 2009

MÚSICA DO DIA 163

Esta edição traz o charme, o talento e a performance extraordinária de Maria Bethânia.
Ao mesmo tempo vocês irão recordar ou conhecer um dos maiores sucessos de Raul Seixas numa das inúmeras parcerias com Paulo Coelho, hoje escritor famoso no mundo todo.Curtam o vídeo e deixem seus comentários.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

O PANELAÇO DO DIA 7 DE SETEMBRO

Galera,
Dia 7 de setembro está bem próximo (segunda-feira). Existe um movimento pela internet e também por outros meios de comunicação, solicitando que se faça um panelaço no final da tarde do dia em que comemoramos a Independência do Brasil. Imediatamente, nosso grande poeta Rubem Alves escreveu uma crônica chamada O PANELAÇO inspirada nesse fato. Reproduzo aqui sua crônica publicada nos jornais há alguns dias.


quarta-feira, 2 de setembro de 2009

NA BATUCADA DA VIDA

A Rachel participa do blog com um vídeo antológico. Seu comentário e a curtição total do Tom e da Elis na obra prima do Ari Barroso e Luis Peixoto
Obrigado, Rachel.

Eis outra jóia para aqueles , q como nós, as jóias ñ necessitam ter pedras preciosas. Nem ouro. Contentamo-nos com a junção de notas musicais preciosas. Enquanto uns possuem talento para juntar pedras preciosas, outros possuem talento para juntar notas musicais. Ambos são ourives e compositores. O talento, q alguns utilizam, para q o ouro seja usado para dar forma à jóia, a nós, está em outro degrau q o ouro, q a nós importa: o ouro produzido por interpretações, q 'valem o ouro'...interpretações de muito valor, mto brilho, mto preciosas...
No vídeo, q achei ótimo, temos na 1ª parte, Tom cantando, tal como, se estivesse mostrando sua música
a Elis. O 'tal como' fui eu quem acrescentei...Por sua vez, Elis vai tentando cantarolar com Tom, a nova música.
E estamos aí, diante da comunhão destes gigantes, q nos contagia...A seguir, em 78 (e olha só o parâmetro utilizado para saber , q isto ocorreu algum tempo depois do 'ensaio': o comprimento de cabelo de Elis cresceu um bocado só...rsrsrs...), vemos a interpretação da música por Elis, agora, sem Tom, dona do pedaço!
E vejo aí, uma grande chance, para q se entenda a diferença entre 'cantar' e 'interpretar'... usados, inconvenientemente, como sinônimos.
Ninguém conseguirá ver na interpretação de Elis, aquela música interpretada por Tom ! Cada um deles 'passa' a sua leitura da música (como um todo!); cada um deles 'passa' o seu sentimento, provocado pela música, e cada um, se utiliza de seus recursos vocais, e até de seus 'cacoetes'... para cantarem e interpretarem a mesma música. Percebe-se q Tom entende a música com certa ironia, brincalhão, rindo de sua vinda ao Mundo.
Elis, por sua vez, ñ faz nenhum drama, mas mostra a seriedade do acontecimento: vc ñ consegue vê-la mexer um músculo da face, sequer. Os olhos estão qual 'lanterna baixa', indicando de tristeza à indignação.
Renato, veja como, aproximando-se do final da interpretação, fica claro o aumento, de sua (da Elis) revolta. Qual um ator em um palco, Elis interpreta 'Na Batucada da Vida'.


CANTINHO DA POESIA

Ouçam mais uma poesia do nosso cantinho. Aceito colaborações.